MACONHA – Efeitos

A maconha, cujo nome científico é Cannabis sativa, é uma das drogas mais usadas no Brasil, por ser barata e de fácil acesso nos grandes centros urbanos. O modo mais utilizado para usá-la é fumando enrolado em um papel, ou então utilizando um cachimbo. O que traz os efeitos é uma substância muito poderosa chamada tetrahidrocanabinol (THC), que varia de quantidade, dependendo da forma como a maconha é produzida ou fumada, a maconha comum contém uma média de 3% de THC

A Indica tende a ser mais sedativa e relaxante, com efeitos no corpo inteiro que te prendem no sofá para acompanhar uma maratona de filmes. Já a Sativa estimula a atividade cerebral, deixando-nos mais criativosenergizados. Devido a essas características a Cannabis Indica acaba sendo mais consumida de noite e a Cannabis Sativa durante o dia.

Indicas e Sativas têm características medicinais, mas são utilizadas para o tratamento de diferentes sintoma; por exemplo as indicas geralmente procuradas para insônia e dor, já as sativas para depressão e fadiga.

A maconha é considerada um alucinógeno, isto é, faz o cérebro funcionar de forma desconcertante e fora do normal e seu princípio ativo é o delta nove tetrahidrocanabinol (THC). O THC produz vários efeitos: avermelhamento da conjuntiva dos olhos (olhos injetados), redução da imunidade pela queda dos glóbulos brancos, sinusite crônica, faringite , constrição das vias aéreas, atua sobre o equilíbrio, movimentos e memória.

No caso da maconha são os receptores canabinóides que são ativados por um neurotransmissor chamado anandamida. A anandamida pertence ao grupo das substâncias químicas chamadas de canabinóides. O THC também é uma substância deste grupo e copia as ações da anandamida, o que significa que o THC se liga aos receptores canabinóides ativando os neurônios, com efeitos adversos sobre o próprio cérebro e o restante do corpo.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Os efeitos, logo após fumar o cigarro de maconha, são (podem ser diferentes dependendo da quantidade de THC):

  • euforia, sonolência, sentimento de felicidade
  • risos espontâneos, sem motivo algum
  • perda de noção do tempo, espaço, etc
  • perda de coordenação motora, equilíbrio, fala, etc
  • aceleramento do coração (taquicardia)
  • perda temporária de inteligência
  • fome, olhos vermelhos, e outras características
O tempo do efeito depende do modo como a maconha é utilizada. Se for fumada, o THC vai rapidamente para o cérebro, e o efeito dura aproximadamente 5 horas. Se for ingerido, o efeito demora pra vir (cerca de 1 hora) mas dura aproximadamente 12 horas.
Cannabis sativa. Foto: Sorawich / Shutterstock.com

Cannabis sativa. Foto: Sorawich / Shutterstock.com
Quando a quantidade de THC for mais alta, podem-se somar os efeitos:
  • alucinações, ilusões
  • ansiedade, angústia, pânico
  • impotência sexual
Os efeitos a longo prazo são muito mais danosos:
  • maior chance de desenvolver câncer de pulmão
  • bronquites
  • sistema imunológico fragilizado
  • tosse crônica
  • arritmia cardíaca
Uso medicinal
Muitos oncologistas e pacientes defendem o uso da maconha, ou do THC (seu principal componente já estudado) como agente antiemético. Mas quando comparada com outros agentes, a maconha tem um efeito menor do que as drogas já existentes. Contudo, seus efeitos podem ser aumentados quando associados com outros antieméticos. Dessa maneira, o uso da cannabis na quimioterapia pode ser eficiente em pacientes com náuseas e vômitos não controlados com outros medicamentos.
Desnutrição e estimulação do apetite

Os estudos sobre os efeitos da maconha sugerem que esta droga pode ser importante no tratamento da desnutrição e da perda do apetite em pacientes com AIDS ou câncer. Mas outros medicamentos são mais efetivos do que a maconha, portanto, os autores recomendam pesquisas mais aprofundadas para avaliar a ação da maconha nesses pacientes.

Espasmo Muscular

Como já foi dito anteriormente, a maconha afeta o movimento, e estudos tem demonstrado que ela pode ajudar no controle do espasmo muscular (encontrado na esclerose múltipla ou no traumatismo raquimedular). 

Mas as pesquisas que avaliaram essa capacidade da maconha devem ser analisadas com cuidado, uma vez que, outros sintomas associados a estas doenças, como a ansiedade, podem aumentar os espasmos, e nesse caso, a maconha poderia ter sua ação diminuindo a ansiedade e não controlando o espasmo propriamente dito. Por isso, os autores acreditam que mais estudos devem ser realizados para se confirmar esse efeito da maconha. 

Movimentos desordenados

Estudos em animais demonstram que o uso da maconha pode estimular os movimentos em doses baixas e pode inibí-los em doses altas. Esta característica pode ser importante para o desenvolvimento de tratamentos para as desordens motoras na doença de Parkinson. Os autores acreditam que novos estudos devem ser feitos para avaliar a quantidade exata da droga que pode ser eficiente no tratamento dessa condição.

Epilepsia

O principal objetivo do tratamento da epilepsia é impedir completamente as crises. Os estudos a esse respeito ainda estão se iniciando, e muitas vezes as crises não foram inibidas com o uso da maconha, portanto, os autores acreditam que pesquisas com pessoas ainda não devem ser indicadas.



Créditos/Créditos/Créditos

By | 2017-11-10T12:03:29+00:00 dezembro 4th, 2015|Categories: Colunista-Luana, Sem categoria|46 Comentários

Sobre o Autor:

46 Comentários

  1. Leah Erin 4 de dezembro de 2015 em 17:44 - Responder

    Essas afirmaçoes foram feitas com base em que pesquisa. Qual a amostragem utilizada? Quantas pessoas participaram do estudo clinico? Qual a porcentagem de pessoas que utilizavam outras substancias,exemplo alcool?

  2. Leah Erin 4 de dezembro de 2015 em 17:47 - Responder

    Hj qualquer um pode falar merda na internet! Eu sou contra a liberação para uso recreativos… Mais nao para estudos voltados a saúde… Hj qualquer postar essas merdas sem fundamento na internet e manipula a maça de ignorantes que não tem o menor intelecto para confirmar as informações 😞

    • Unknown 4 de dezembro de 2015 em 19:02 - Responder

      Tudo isso que vc disse tem nome, Hipocrisia e ponto final.

    • Anônimo 4 de dezembro de 2015 em 19:46 - Responder

      Fofa. Tenha conhecimento antes de falar qualquer porcaria por aí. Como bióloga eu apoio o uso da maconha para meios medicinais. É uma erva medicinal e bastante útil para a sociedade atual. Se você teve a capacidade de ler o artigo inteiro acredito que pode tomar ciência e entender que existem pontos positivos e negativos da droga. Se você é contra as drogas deveria primeiramente fechar as drogarias que vendem compostos piores do que a erva a ser legalizada

    • Anônimo 5 de dezembro de 2015 em 01:41 - Responder

      Deviam te manipular pra escrever certo linda.

    • Rogério Ribeiro 5 de dezembro de 2015 em 19:01 - Responder

      O Brasil como sempre é um país atrasado e de pessoas atrasadas como esta mulher que fala merda. Nos EUA é liberado para uso medicinal então não fale asneira, no Brasil não é liberado por questões políticas e de impostos dos corruptos, porque se fosse pensado de uma forma de tratamento médico já estaria em prática sua ignorante

    • yago 6 de dezembro de 2015 em 14:47 - Responder

      E tu já leu algo pra provar o que ele disse ta errado ?
      Deixa de ser ignorante e vai estudar guria

    • Eduardo Machado 9 de dezembro de 2015 em 17:46 - Responder

      Caraca…. Achei que maconha relaxasse, mas olha quanto maconheiro nervoso! Kkkkkk

    • Anônimo 11 de dezembro de 2015 em 22:33 - Responder

      Kkkkkk tudo loko veio eu queimo minha cannabis d boa e to ohhhh vivassa

    • Unknown 12 de dezembro de 2015 em 14:24 - Responder

      Kkkkkkkk mais uma atrazada . Vai la tomar seu taxa preta pra vc dormir kkkk

    • De Olho Na Tela 13 de dezembro de 2015 em 11:58 - Responder

      A matéria começou a perder credibilidade quando relacionou a maconha como "uma das drogas mais consumidas no Brasil" sem, no entanto, mencionar que ela perde longe para o alcool e anti depressivos que são, por sinal, muito mais danosos. Obs. Nao sou usuário de maconha. Prefiro uma cerveja mas, tambem não sou hipocrita!

    • Anônimo 18 de dezembro de 2015 em 02:12 - Responder

      Impotência? Hahaha nada melhor que fazer as unhas depois de fumar um ((Santa Fabíola ))

  3. ●•Rαƒαзℓ~ 4 de dezembro de 2015 em 17:58 - Responder

    Concordo 👆👏

  4. Danilo Lima 4 de dezembro de 2015 em 18:07 - Responder

    Os maconheiros de plantão piram….
    😅😅😅😅😅😅

  5. Bruno Carvalho 4 de dezembro de 2015 em 18:09 - Responder

    Essas afirmações foram feitas com base em várias pesquisas e artigos médicos e científicos. Estão espalhados pela internet. Pra quem tem preguiça de procurar, o que sobra é dizer que são notícias falsas.

  6. Pedro Alvaro 4 de dezembro de 2015 em 18:09 - Responder

    Impotência sexual? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk poderia até ter levdo a serio antes de ler isso.

  7. Bruno Carvalho 4 de dezembro de 2015 em 18:12 - Responder

    Sou maconheiro, tenho amigos maconheiros, e não piramos com isso. Sabemos usar de forma moderada e em locais seguros, caso algum idiota venha dar uma de politicamente correto. Claro que o abuso, ou a origem da maconha pode dar efeitos mais pesados ou inesperados. Mas sabendo da origem e como usá-la, é uma das melhores sensações que existe.

    • Unknown 18 de dezembro de 2015 em 01:10 - Responder

      Suponho que não compra de forma legal não é.
      O problema não é usar, e sim a origem e o destino da verba. Como traficantes vendem para usuários e usuários pra outros usuários a ervinha que vcs fumam de boa sem machurar ninguém financia o tráfico que por sua vez financia o armamento ilegal que é usado principalmente pelos bandidos… Resumindo, o cara que mataram no sinal em um assalto ou a pessoa sequestrada e morta é culpa sua.
      Legal né?
      E antes de dizer que sou um moralista atrasado, tenho amigos, e parentes que usam. Não sou contra o uso, mas as consequências.
      Usuário sustenta toda a cadeia.
      Sou a favor da liberação, mas não dá forma que o Brasil fiscaliza, aqui iria virar bagunça e os traficantes seriam beneficiados de qualquer forma.

  8. Anônimo 4 de dezembro de 2015 em 20:11 - Responder

    As drogas recreativas, aos poucos, vão sendo desmistificadas. É ignorância por parte da pessoa aceitar apenas uma opinião, um artigo, um estudo. É necessário, como vem sendo, um conjunto de fatos que comprovem o seu real efeito orgânico, psicológico e social. Há uns bons anos, a maconha era sinônimo de criminalidade, marginalização, risco. E aí descobriram que não se trata apenas de uma "Diversão", mas sim de uma poderosa substância no tratamento de inúmeras doenças e transtornos, como mencionado no texto.
    Infelizmente está enraizado nas massas que a Droga é algo ruim e precisa ser erradicada a qualquer custo. O que não é verdade, visto que a mesma droga que cura uma doença, trata um ferimento… É a mesma que possui efeitos colaterais avassaladores e tão perigosos, se não mais, aos efeitos acometidos a maconha, por exemplo.
    Sou a favor da legalização, porque antes de tudo, o prejuízo é pessoal quando se extrapola os limites do uso, assim como uma pessoa faz uso irregular de um medicamento. Muitas questões precisam ser analisadas, mas se fechas às possibilidades, isso sim é uma droga!

  9. Marcelo Farias 4 de dezembro de 2015 em 21:04 - Responder

    Vim ate ver a data dessa pastagem, tem informações bem antigas aí cara, principalmente sobre o uso medicinal e os efeitos a longo prazo. Da uma lida numas coisas mais atuais.

  10. Alexandre Souza 4 de dezembro de 2015 em 22:35 - Responder

    Não gosta de maconha ? É só não fumar e pronto, cada um sabe oque faz da própria vida.

  11. Mateus Navungo 4 de dezembro de 2015 em 23:38 - Responder

    Em Moçambique, concretamente na Província de Tete, o uso da erva em causa é quase cultural … idosos de 80-95 anos de idade, que se mantêm em dia e com força de trabalho do campo, afirmam serem utilizadores da "sorruma "(como é chamada aqui) e acreditam ser esta que os mantem fortes para sua aptidão ao trabalho. Todavia, eles não possuem uma explicação científica sobre a erva…

    Esperamos que os países com universidades que possuem altos níveis de cultura de pesquisa nos tragam resultados confiáveis…

  12. Grizzie Heine 4 de dezembro de 2015 em 23:39 - Responder

    Kkkkkkkkkkkkkk parceiro, ninguém tem pânico com a verdinha não….
    Se não quer fumar, fica só sentido o cheiro!!!?

  13. Anônimo 5 de dezembro de 2015 em 00:01 - Responder

    Já tentei fumar duas vezes a primeira vez um camarada meu e eu dois Cabaços diga se de passagem fizemos dois charutos cabulosos e fogo na bomba, meu camarada não sentiu nada nem eu, fizemos outro aí eu pirei kkkkkkkkkkkkkkk comecei a rir do meu camarada pois veio uma caricatura dele fumando maconha. Quase morri, minha língua embolou foi osso pior coisa que me aconteceu mas foi da hora. Segunda vez depois de alguns anos fiz um fininho e dei tres tapad na criança e a sensação não foi muito boa tbm n, mas foi da hora kkkkkkkkkkkkkkk hoje em dia eu sou meio traumatizado com essa parada mas quem quizer fumar a parada que fume mas eu não quero mais n. Vlw galera quem sabe um dia crik coragem e tento mais uma vez mas é mais provável que n.

  14. Joilson Souza 5 de dezembro de 2015 em 02:22 - Responder

    Coroa ignorante em remédio se fudeu, diz que eu sou maconheir e usar mais drogras que eu (8)

  15. Amanda Lessa 5 de dezembro de 2015 em 02:57 - Responder

    Sinusite e bronquite confirmado kkkk

  16. Anônimo 5 de dezembro de 2015 em 06:34 - Responder

    Vai fumando.Vc vai ser a pessoa mais importante, do por hoje. Kkkkkkkk

  17. Gabriel gomes 5 de dezembro de 2015 em 10:03 - Responder

    Querer dar uma de nerd e escrever: manipula a "maça" é pra acabar com o planeta terra.

  18. Anônimo 5 de dezembro de 2015 em 12:26 - Responder

    Cuidado com o corretor…observa mais …veja mais…senão vira mesmo a massa da maçã!…. Ou a maça das massas….como quiser! Rsrsrs desculpa!bom dia prá vcs!!

  19. Claudia de Cerciari 5 de dezembro de 2015 em 13:19 - Responder

    Falar todo mundo gosta,mas analisar os benefícios pra cada caso aí não.Sou a favor do uso para fins medicinais e recreativos com moderação em lugares apropriados.É o que um internauta falou:
    -Não gosta não fuma,mas também não encha o saco.

  20. Anônimo 5 de dezembro de 2015 em 16:29 - Responder

    Vão se fuder vcs todos com essa historia ,mais assim é o certo liberar essa porra no meio do mundo

  21. Marcelo Gomes 6 de dezembro de 2015 em 01:42 - Responder

    Kkkk, cada um com seu modo de pensar realmente alguns do comentários são de pessoas cultas , que por sua vez sabem se expressar , porem alguns alem de não saber expor suas opiniões não sabem interpretar as coisas . esse artigo esta ai justamente para pessoas leigas no assunto tomar conhecimento visto que na minha opinião é um bom artigo , e a respeito daqueles que julgam as fontes das pesquisas realmente não encontrei referências que prove os fatos aqui citados , porém pesso a você que os jugam inverídicos que provem . ��

  22. Unknown 6 de dezembro de 2015 em 03:46 - Responder

    Viva a maconha ✌

  23. Anônimo 8 de dezembro de 2015 em 01:24 - Responder

    Maconha hoje maconha amanha maconha pra sempre

  24. Daniel Douglas 8 de dezembro de 2015 em 01:54 - Responder

    Eu piro nessas noticias, antes eu nao podia nem sentir o cheiro que passava mal, hoje em dia, aprendi sozinho como manipular o efeito dela em mim, posso dizer que, para muitas coisas boas a maconha servem, inclusive para o sexo que depois que fumo eu pimbo 3 vezes na noite numa boa 4ª pela manha kkkkkkkkk antes do trabalho e olha que só dou 3 tragos leves no maximo kkkkkk

  25. Anônimo 8 de dezembro de 2015 em 02:56 - Responder

    eai quem vai livrar?

  26. levaeutelevo 8 de dezembro de 2015 em 06:57 - Responder

    Vivava canabis kkkk

  27. douglas kaminski carvalho 9 de dezembro de 2015 em 02:46 - Responder

    provavelmente vocês bebem bebidas alcoólicas ou fuma cigarros que são drogas, e não venha me dizer que você nunca experimentou … Enfim a pergunta que eu faço é se sua droga pode ser liberada porque a maconha não pode ser ?

  28. Dannubia Rocha 11 de dezembro de 2015 em 21:13 - Responder

    Não gostam, não fumem, simples assim…
    Eu vou enrolar outro! rs

  29. Anônimo 14 de dezembro de 2015 em 17:33 - Responder

    Simplesmente não ligo com os outros digam não pode parar de plantar nossa canabis. E ponto final ..kkkkk

  30. Matheus Henrique 18 de dezembro de 2015 em 02:11 - Responder

    Nunca li uma matéria tão bosta! Vou enrolar um aqui agora….kkkk

  31. David Martins 19 de dezembro de 2015 em 22:58 - Responder

    Kkkkkkk SLC os comentários são os mais dahora kkkkkkk só fumando um aki MSM ….e a maconha tem que ser liberada

  32. Wesly Nascimento 25 de dezembro de 2015 em 05:12 - Responder

    Meu deus vejo muita boca grande mais mentes muito pequenas 😤😤😤 tamos em pleno século xxi my frindys👍👍👍

  33. edson henrique pereira 26 de dezembro de 2015 em 07:04 - Responder

    Sem a planta… Sem a planta não da mais…✌

  34. Anônimo 26 de Fevereiro de 2016 em 21:12 - Responder

    Eu ano acho que e a droga mais consumida pelo fato de ser mais barata, mas sim por uma questão de gosto.
    Tem gente que fuma maconha e nenhuma outra droga, inclusive cigarro e bebida.

Deixar Um Comentário

This Is A Custom Widget

This Sliding Bar can be switched on or off in theme options, and can take any widget you throw at it or even fill it with your custom HTML Code. Its perfect for grabbing the attention of your viewers. Choose between 1, 2, 3 or 4 columns, set the background color, widget divider color, activate transparency, a top border or fully disable it on desktop and mobile.

This Is A Custom Widget

This Sliding Bar can be switched on or off in theme options, and can take any widget you throw at it or even fill it with your custom HTML Code. Its perfect for grabbing the attention of your viewers. Choose between 1, 2, 3 or 4 columns, set the background color, widget divider color, activate transparency, a top border or fully disable it on desktop and mobile.